Os limites do humor

A aceitação do humor na vida moderna implica de um lado atitudes conservadoras e de outro posicionamentos críticos. O ideal da felicidade eterna exige simpatia, sorriso e bom humor para lidar com os problemas, contudo a sensação de insatisfação e de incapacidade de transformação social se reduz numa piada sobre as mazelas da vida privada ou de uma realidade estática. Assim cada um faz graça da própria desgraça, e pormenoriza o enfrentamento das questões mais coletivas. Alem disso, os grupos já excluídos como negros, mulheres, idosos, indígenas, nordestinos, obesos etc são humilhados em nome do humor, principalmente atrás de estereótipos do “negro sofredor”, da “loira burra”, da idosa que não tem direito de ir a praia de biquíni, do índio de cultura a nosso dispor, do “baiano preguiçoso”, da “gordinha” que não pode amar, entre tantos outros. O preconceito e o desrespeito passam a imperar para risada de alguns e a lágrimas de outros. O famoso Charlie Chaplin em “Tempos Modernos”, ainda que no cinema mudo, gritou pro mundo de forma muito bem humorada que o capitalismo já estava nos enlouquecendo, mas nos resta saber ate que ponto o humor leva a aceitação do status quo, a provocação de mudanças ou a marginalização de grupos.

 

OBS: Texto de agosto de 2014

Anúncios

2 comentários sobre “Os limites do humor

  1. Este assunto muito me interessa. Comentando como cartunista, ao contrário talvez da maioria dos colegas acho que a expressão do humor na charge, deve obedecer a determinados limites éticos; mas como a ética é (talvez) um conceito individual ou pessoal, esta discussão pode não ter fim…lembrando que chargistas e cartunistas não são humoristas, mesmo estando o humor quase sempre presente nos nossos desenhos, junto com a ironia…

    Curtir

    1. Vi uma frase mto verdadeira. Era algo do tipo: “os tolos fazem comédia dos oprimidos, os sábios dos opressores”, e se pararmos pra observar os tolos são justamente os mais oprimidos. Enqto os mais abastados cooperam entre si, alguns desfavorecidos muitas vezes até prejudicam o outro para o benefício proprio. Quanto aos cartunistas, é muito bom o uso da ironia, mas só quando se faz com sabedoria. O desenho também é um texto e o não verbal pode dizer tanto a ponto de provocar uma transformação social, favorável ou não! Essa é uma infinita questão que vale a pena a reflexão!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s