Ai, meu pericárdio!

Ai, meu pericárdio!

Assim meu coração não aguenta, porque a virilidade de suas veias faz escorrer prazer pelas minhas pernas, tremulas de tanto gozo e delírio. Você raramente está sozinho, mas quando topa se doar um pouquinho recebe um turbilhão do meu amor. O impulso e a vontade imensa de ser invadida e te sentir em mim me faz perder a noção de perigo e dos riscos envolvidos, sem contar aquele desejo subversivo de reter mais do seu tempo comigo. O toque de suas mãos no meu corpo estreito e o alvo de seus dedos no meu orgão e nos meus seios faz vibrar o meu corpo inteiro em pelos. Você me atiça, me incendeia e me envolve mais que areia movediça. Você me ativa. Obrigada por me fazer sentir tão viva!

Ai, meu pericárdio!