“Destrinchando” o termo Trincheira

trincheira

Soldados ingleses entrincheirados durante a Primeira Guerra Mundial

Em primeiro lugar, tive duvidas sobre a palavra destrinchar, pois um professor indicou em um blog que utilizamos erroneamente, já que o correto seria “destrinçar” (solucionar) e que a palavra “trinchar” significa cortar, então com o prefixo daria sentido de “descortar”, o que não existe. Confira a matéria: http://blog.tribunadonorte.com.br/gramaticando/334.

Ainda assim deixei no título pela semelhança com o nome do Blog que escolhi, e porque consta em dicionários legítimos, mas vou contar um pouquinho como descobri a existência dessa palavra.

Em 2010, já em meus 27 anos, comecei a me relacionar amorosamente com Andreas Lara (conhecido como Javali), que já era um querido amigo meu desde 2007 (e pai da minha única filha, nascida em 2013). Assim, conheci o grupo “Trincheira Organizações Subversivas” que nada mais era do que planejamento e execução de grandes eventos anuais gratuitos da cultura punk (colaborativos de causa sociais como animais de rua, crianças de abrigo e comunidade em geral). Então, Javali e o seu melhor amigo Ralph Leite (apelidado bodinho) administram todas as etapas dos festivais, desde o apoio de comerciantes locais (da cidade de Maricá/RJ); a estruturação do local sem nenhuma verba de governo, partidos ou políticos candidatos; a convocação das bandas musicais (inclusive de outros estados); o marketing/divulgação; o armazenamento dos materiais doados; e a distribuição/entrega dos donativos. Ambos pertencem à antiga banda de punk rock denominada “Lacrau” (vocal e bateria) em que uma das músicas contra o uso de drogas (Miséria) pode ser vista em http://bandasdegaragem.uol.com.br/banda/lacrau, mas Javali também administra sozinho um canil com mais de 10 cães recolhido nas ruas de sua cidade, sem nenhum apoio financeiro, contando apenas com sua renda, composta do serviço de adestramento de cães que realiza há mais de 20 anos, hospedagem de cães, e ainda alugando caixas de som ou espaço de estúdio como forma de complemento de renda. Para realizar contato https://pt-br.facebook.com/canil.trincheira. O direito ao uso do nome “Trincheira” foi carinhosamente me cedido pelo próprio, de forma verbal, mas válida. E veja porque tem tudo a ver comigo:

“O termo trincheira designa, genericamente, qualquer tipo de escavação linear no solo. Eram valas escavadas no chão, com cerca de dois metros de profundidade e vários quilômetros de extensão. Nelas, milhões de soldados ficaram sujeitos à fome ao frio e ao medo constante da morte por bombardeios, granadas, tiros e doenças.” (…) “A abertura de trincheiras está associada a outras estruturas defensivas de fortificação como abrigos subterrâneos e casamatas.”  https://pt.wikipedia.org/wiki/Trincheira

Então essa palavra nos remete a pensar em engenharia, profundidade, e estratégias militares de proteção. Além disso, se estende aos conceitos de fuga, desafio, esconderijo e risco. Talvez sejam desejos, sentimentos e características comuns a muitos escritores e que expresse todos os receios e busca de intensidade nos momentos de inspiração, afinal somos significativamente mais sensíveis que as outras pessoas do mundo, e temos alguns conflitos internos que impedem ou dificultam na construção, projeção e promoção para um efetivo reconhecimento literário. Este blog pretende abarcar e expressar muitos desses elementos.

Há muitos sites interessantes que podem ser utilizados a partir de simples pesquisa no Google para que novos escritores desenvolvam ideias e façam diversos tipos de associações com palavras específicas. Encontrei para trincheira: http://dicionariocriativo.com.br/destrinchar

Para rimas de poesias recomendo o “citador” (www.citador.pt), e especialmente para quem deseja elaborar um soneto (pois exige muita dedicação, mesmo no formato moderno e menos formal. Eu mesma no único que escrevi passei muitos meses tentando). Também gosto de aguçar a reflexão através do site http://pensador.uol.com.br/.

 E você, como costuma ter inspiração pra escrever?

O que achou dessa palavra que pretendo utilizar como pseudônimo (já que a fonética de “Trincheira” é a junção do meu sobrenome: Trindade Teixeira)?

Obrigada pela atenção! Aceito dicas e sugestões nos comentários!

Anúncios